Por Comunicação

Banana, maçã, laranja, uva, kiwi, melão e mamão. Muito pais têm dificuldade em inserir estas frutas na alimentação dos filhos. Na fase escolar então parece que o problema aumenta, principalmente, pela famosa alegação da “falta de tempo”. A opção? recorrer aos produtos mais práticos, na maioria das vezes, industrializados e enlatados.

Pesando em contribuir na melhoria da qualidade dos alimentos consumidos pelas crianças, o Colégio Santíssimo Senhor iniciou este ano um projeto de alimentação saudável. A nutricionista Chiara Limeira tem visitado as salas e conversado com os alunos da Educação Infantil – fase mais crítica – para apresentar e conscientizar os alunos sobre a necessidade de consumir alimentos saudáveis.

De acordo com a profissional a aceitação já é perceptível. “Nosso objetivo é promover a educação nutricional. Fazer com que as crianças percebam a importância da alimentação saudável. Mostrar a elas a que as vitaminas e os minerais são fundamentais para o corpo humano, por exemplo”, conta.

Desde a primeira visita nas salas, a nutricionista diz já ter percebido a mudança no comportamento alimentar de algumas crianças. “Eu noto que, inicialmente, eles negam alguns alimentos. Muitos nem conhecem e já dizem que não gostam. É aí que entra a necessidade de mostrar a elas que são comidas gostosas e cheias de benefícios. Algumas professoras têm me relatado que alunos que antes não comiam nenhuma fruta já começam a provar e até a pedir aos pais que comprem para trazer para o Colégio”, afirma.

Chiara diz que com esta mudança todos têm a ganhar. “Com este estímulo realizado no Colégio, os pais vão receber a informação pela própria criança de que comer aquele determinado tipo de alimento faz bem”, informa. No Colégio, todos os alunos da educação infantil degustaram as frutas.

A nutricionista contou ainda, que fará uma parceria com as professoras para mostrar a elas como deve ser o “ritual” da alimentação. “A gente observa, que vários alunos trazem frutas, mas junto a elas vêm os salgadinhos, bolos, tortas, biscoitos. Então, é imprescindível que a crianças comece a comer a fruta, depois o bolo ou similar e só por último ela chegue ao industrializado, pois ela já estará saciada e, talvez, nem coma mais o produto”, observa.